quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

abre-se a madrugada,
sob o fascínio
resplandecente
da aurora
ainda adormecida,
ao sorriso
que derramas
deslumbrante,
por dentro
em mim.

2 comentários:

  1. vim visitar a tua "casa"

    já tinha lido o poema no luso mas não ia embora sem deixar um abraço

    ResponderEliminar
  2. a casa está aberta :) um abraço, Alberto

    ResponderEliminar